Pênis Real Dildo Com Vibrador, Ventosa E Escroto 16x4cm A37

5% OFF
R$57,00 R$53,90
Conheça nossas opções de frete
Pênis Real Dildo Com Vibrador, Ventosa E Escroto 16x4cm A37 Prótese em formato de pênis com vibrador multivelocidade acionado por controle remoto de fio, pênis com 16 cm de comprimento e 4 cm de diâmetro, com escroto e ventosa na base que propociona um ângulo reto para penetração vaginal ou anal. Em PVC atóxico é de fácil higienização COM ESCROTO+VIBRADOR+VENTOSA Estes tipos de próteses são completas em funcionalidade e prazer, já que reúnem num único produto as 3 melhores qualidades de próteses realísticas. As próteses com a sua vantagem de se parecer com partes do corpo, aliadas ao poder de um vibrador proporcionam um novo prazer: misto de realidade e tecnologia. Material: PVC Atóxico, produto livre de ftalatos. Utiliza: 2 pilhas AA Cor: Bege Cuidados: Lavar antes e após o manuseio com água e sabão neutro, não compartilhe deste produto com outros parceiros, recomendamos sempre o uso de preservativo. Ftalatos: o que são e onde estão? Os Ftalatos são um conjunto de substâncias capazes de tornar plásticos rígidos em plásticos maleáveis. Nos cosméticos, eles são responsáveis pelo brilho e pela fixação da cor de esmaltes e permitem que perfumes durem mais tempo. Além dos cosméticos, os ftalatos podem estar presentes em embalagens para alimentos, copos plásticos, tubos de PVC e brinquedos. Os ftalatos não conseguem se ligar quimicamente aos plásticos. Isso significa que saem dos plásticos e de outros produtos, e entram em contato com o ser humano e com o ambiente. O ser humano pode ser exposto aos ftalatos por via oral, via aérea (respirar ar com ftalato) e pela pele. Pesquisas indicam que ao entrar em contato com humanos oe efeitos foram: surgimento de câncer de mama, desregulação hormonal e diminuição da fertilidade masculina (redução do número de espermatozoides). Posição nacional e internacional Na Europa, o uso de ftalatos é proibido e são considerados tóxicos para o sistema reprodutivo. No Brasil, desde 2009, são limitadas as concentrações de ftalatos e seus derivados (não mais que 1%), em copos e garrafas plásticas descartáveis, seguindo resolução da ANVISA.